Bigode chinês: conheça as diversas técnicas para acabar com essas pequenas marcas de expressão!

Já ouviu falar em bigode chinês? Trata-se de uma marca de expressão muito comum, principalmente, entre as mulheres mais maduras. Porém elas também surgem em jovens, proporcionando um aspecto envelhecido à sua aparência. Se você já percebeu alguns sulcos que vão da base do nariz até o cantinho da boca, ou quer prevenir o surgimento deles, confira este artigo, pois daremos todas as dicas sobre como tratá-los e evitá-los.

Quais fatores causam o bigode chinês

Existem muitas razões para o aparecimento de bigode chinês no rosto. Uma delas é a predisposição genética, ou seja, se outros membros da sua família e seus antepassados possuem a marca de expressão, existe uma grande chance de você desenvolver também. Outras causas são a falta de elasticidade na pele, perda de colágeno, dormir de bruços com o rosto de lado ou com a mão na bochecha e até fazer muitas expressões enquanto fala.

Fumo, alimentação de má qualidade, sedentarismo, estresse e exposição ao sol sem protetor solar facial também são fatores que contribuem para o surgimento do bigode chinês, por isso, é importante ficar atenta aos hábitos nocivos do dia a dia que prejudicam a pele. Não há uma idade ou um tipo de pele mais propícios a desenvolver este problema, mas suas intensidade e profundidade variam muito de pessoa para pessoa, de pele para pele.

Como prevenir o bigode chinês?

Um dos motivos para o aparecimento do bigode chinês é a perda de colágeno e da elasticidade da pele. Por isso, uma ótima maneira de prevenir é utilizando cremes anti-idade, antirrugas e produtos que ajudam no aumento da produção de colágeno. Outras formas de prevenção incluem a mudança de hábitos cotidianos, como beber uma grande quantidade de água por dia, parar de fumar e usar filtro solar sempre que sair.

Maneiras de tratar o bigode chinês

Como vimos anteriormente, o bigode chinês pode surgir em qualquer idade, com profundidade de sulcos que variam de pessoa para pessoa. Por isso, as formas de tratamento também são bastante variadas. O melhor mesmo é procurar um médico e pedir uma avaliação para que ele indique qual é o melhor procedimento para cada tipo de pele e faixa etária. Veja o que é mais recomendado para períodos de idade específicos:

Entre 20 e 30 anos – Nesta faixa etária, recomenda-se a utilização de cremes que apresentem na sua composição adpofil ou exsynutriment (princípios ativos que produzem tecido adiposo na região do bigode chinês, deixando a pele do local mais firme e suavizando as marcas de expressão).

Outro tratamento sugerido é o preenchimento dos sulcos com ácido hialurônico. Feita por meio de uma agulha, a aplicação da substância eleva a região afundada e corrige a expressão facial. A desvantagem desse tipo de procedimento é que seu efeito dura de 9 a 18 meses, ou seja, ele precisa ser refeito depois deste período;

Entre 30 e 40 anos – Pacientes dentro desta faixa de idade percebem melhores resultados quando recorrem a procedimentos a laser, como um peeling mais profundo. Neste tratamento há uma renovação das células através da descamação controlada da pele;

Entre 40 e 50 anos – A indicação para pacientes nesta faixa etária são os fios de sustentação de ácido lático. Deve ser aplicado um par de fios de cada lado do rosto, deixando-o mais firme. A cada três meses os fios devem ser trocados. Este procedimento tem como objetivo fazer com que o corpo forme tecido fibroso, retraindo o tecido e melhorando a sustentação facial;

Acima dos 60 anos – A partir desta idade o mais indicado para eliminar o bigode chinês é a cirurgia plástica.

Além dos já citados acima, há outras maneiras de prevenir ou amenizar o bigode chinês, como a acupuntura, que relaxa a musculatura da região onde aparecem as marcas de expressão, e a radiofrequência ou infravermelho, tratamentos que auxiliam no combate a flacidez da pele.

E o Botox? Funciona como tratamento?

Com certeza! Este é um dos procedimentos mais indicados para pacientes que já adquiriram a marca de expressão no rosto, ajudando a amenizar ou eliminar completamente os sulcos próximos à boca. No caso do botox, ele relaxa a musculatura e inibe o estímulo nas células que causam a contração muscular da região. O único problema desse tratamento é que ele é temporário. Seu efeito acaba entre 4 a 6 meses após a aplicação. Logo, será necessário repetir o procedimento.

Tratamentos caseiros

Se você não tem dinheiro para gastar com procedimentos estéticos (que podem chegar a 3000 reais), ou para comprar cremes de marcas famosas, não se desespere! Você pode fazer alguns tratamentos na sua própria casa, sem gastar muito. Quer ver?

Máscara caseira - Há inúmeras receitas de máscaras caseiras que ajudam a amenizar os efeitos do bigode chinês. Uma delas leva apenas a clara de um ovo batida em neve. Aplique a clara em todo o rosto com um pincel. O alimento aumenta o tônus muscular e o colágeno da pele, além de diminuir a flacidez.

Exercícios faciais – Uma boa maneira de diminuir o bigode chinês é fazendo ginástica facial. Sim, sim! Do mesmo modo que os músculos corporais devem ser fortalecidos, os faciais também precisam se exercitar. Confira alguns exemplos:

  • Deslize a língua por dentro da boca, passando pela parte frontal dos dentes, empurrando os lábios para frente. Faça este movimento 10 vezes de cada lado (sentido horário e anti-horário);
  • Dê um largo sorriso com a boca aberta, porém cobrindo os dentes e fique nesta posição por 10 segundos. Volte à posição inicial e repita o movimento por mais 10 vezes.

Tratar o bigode chinês não é um bicho de sete cabeças. Como pode ver, há muitas opções de tratamento para amenizar a marca de expressão ou eliminá-la. Basta ter certeza de qual deles é o mais indicado para sua idade e tipo de pele. E não esqueça: às vezes uma mudança de hábitos pode contribuir significativamente para uma pele bonita e jovial. Então, beba muita água, tenha uma alimentação equilibrada e use sempre, sempre mesmo, protetor solar!